IRANI MARTINS
 "REFLEXÕES DE UM CORAÇÃO PENSANTE"
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário Textos FotosFotos PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks



No balanço geral, as notícias são sangrentas, tanto quanto um ano atrás.
O telejornal, ainda tem como chamada, as mesmas dores trazidas pelas violências na Síria, pelos furações, tsunamis, e acidentes de toda ordem.
E a cada dia, nós brasileiros descobrimos mais um ladrão dentre nossos governantes infiéis.
NADA MUDOU...
Nada muda!
Há um ano, um movimento a favor de impeachment iniciava a todo vapor, prometendo melhoras. Os organizadores de tal evento, promovendo propagandas enganosas, proibidas, só que aqui, não, para conquistar a credibilidade de uma população que queria ser enganada, pois não quis questionar, nem usar a sua condição de ser pensante, para analisar o que de fato era mentira ou verdade, melhor ou pior para o país, para a população e até para si mesmo, preferiram comprar o que estava à venda, pagando o preço da sua própria vida.
E conquistaram o que compraram.
Mas o produto entregue chegou a estado de putrefação.
Após os acontecimentos, as promessas milagrosas, se mostraram uma verdadeira fonte de mentiras onde a única verdade foi o sucesso do impeachment e a queda da democracia sonhada, tão duramente conquistada por brasileiros idealistas e honestos que deram suas vidas por ela. De resto, a população brasileira conquistou um covil de ladrões, legalizados, que se protegem, e se tornaram poderosos, detendo poderes nunca vistos por uma sociedade ética.
E agora José?
E o novo ano se aproxima...
O povo brasileiro respira o natal, e respirará os festejos da passagem de ano, buscando alguma alegria na sua vida de desencanto.
Não é ilusão que o leva a festejar as datas natalinas.
O brasileiro sabe...
Que o amanhecer do dia 02 de janeiro de 2017, lhe trará muitas mudanças, além do calendário.
Sabe que a cada dia será surpreendido por mudanças que afetarão apenas e apenas ao pobre brasileiro.
Mudou o dia, o ano, e talvez uma ou outra mudança na sua vida pessoal, pois o desemprego bate à sua porta, o salário curto não faz mais a compra do mês, a saúde da família já não tem o mesmo respaldo na saúde pública, e uma nova dor foi acrescentada às outras, porque tudo dói, dentro da sua imensa angústia, que tentou camuflar durante as festas natalinas.
Não é ilusão...
É alimento para a alma, é um tempo para respirar e criar forças.
AFINAL É NATAL...
E mesmo que não haja barba, capuz ou roupa vermelha, muito menos um saco de presentes, é preciso ser Papai-noel, e fazer a alegria surgir dentro do seu lar.
E isso, como toda miséria da classe menos favorecida...
Não mudou!
Ainda existe o Papai Noel de saco vazio, que ri e faz HO HO HO, com as lágrimas rolando na face pálida.
E agora Brasil?
 
Irani Martins
27/12/2016
 
Irani Martins
Enviado por Irani Martins em 27/12/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

"SOU O QUE VEJO"

Irani Martins